quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Café Filosófico Especial com Simon Blackburn

CPFL Cultura e Fronteiras do Pensamento

Publiquei o post abaixo ontem, dia 6 de novembro, sobre a participação de Simon Blackburn no Café Filosófico CPFL Especial e como houve alguma curiosidade, vou contar um pouco da história de como o filósofo chegou até o Brasil e, especialmente, a Campinas para a gravação deste Café Filosófico cujo link está abaixo da foto de Blackburn.

Como parte da parceria com o Seminário Fronteiras do Pensamento, fui à Inglaterra, em 2011, com Fernando Schuller, o idealizador do Fronteiras. Nossa tarefa principal era entrevistar o sociólogo Zygmunt Bauman em sua casa em Leeds, no  norte do país, o que fizemos e que resultou em um dos vídeos mais visualizados dos sites da CPFL Cultura e do Fronteiras. 

Aproveitamos nossa estada para visitar outros intelectuais e convidá-los a participar de edições futuras do Fronteiras e do Café Filosófico CPFL. Um dos que aceitou o convite foi o filósofo e professor do King's College, em Cambridge, Simon Blackburn.

Blackburn nos recebeu na sala dos professores do King's College e nos proporcionou uma das experiências mais estimulantes daquela viagem, a começar pelo almoço na mesa alta do restaurante principal do college. Na companhia dos professores presentes, eu e Fernando fomos instruídos por Blackburn sobre o protocolo da refeição que, além da sequencia de pratos, servidos por nós mesmos com a ajuda atenciosa de uma espécie de governanta, incluiu manter conversação com os professores presentes, todos muito curiosos sobre o objetivo de nossa visita. Fato curioso: como a mesa é única, o protocolo nos obriga a escolher os lugares de modo a não deixar espaços vazios entre nós e aqueles que já estavam sentados, o que quase impõe a conversação.
Logo após o almoço (muito bom, por sinal), fizemos uma espécie de "visita guiada" pelo campus, tendo Blackburn como guia luxuoso e com pelo menos dois pontos altos: a magnífica capela e a seção de livros raros da biblioteca.





Na biblioteca, com entrada permitida apenas a professores, seus convidados, e pesquisadores previamente aprovados, vi, deslumbrado, alguns dos livros formadores da cultura ocidental, especialmente a primeira edição das obras de Shakespeare, o famoso "First Folio" (1623), a edição original do Philosophiae Naturalis - Principia Mathematica, de Isaac Newton (1628) e uma curiosidade do século XX: o caderno de anotações do filósofo, aluno e depois professor do King's College, Ludwig Wittgenstein. Exposto na mesma prateleira, ao lado do caderno, com o mesmo cuidado dedicado às raridades da biblioteca, uma leitura bem mais amena: o exemplar pessoal do filósofo do livro infantil "Winnie the Poo". Segundo a lenda, leitura recorrente de Wittgenstein.


Simon Blackburn veio ao Brasil em 2012 e fez conferências em Porto Alegre, São Paulo e Campinas, no Café Filosófico CPFL. Aqui mais uma curiosidade. Ao conhecer as instalações e saber da extensão do programa cultural da CPFL Energia, disse: "Eu vivo parte do ano nos Estados Unidos e parte na Inglaterra. As duas companhias de energia que me atendem jamais me derem nada além das contas. Nunca tinha visto o caso de uma companhia de energia com um programa cultural tão qualificado como este que encontrei aqui em Campinas".

Acesse o link abaixo para assistir ao programa especial gravado em Campinas




Assista aqui:  Simon Blackburn, de Cambridge, UK, fala sobre filosofia e o estranhamento do mundo contemporâneo

Nenhum comentário:

Postar um comentário